COORTE BRISA

Aviso da Equipe BRISA

Atualmente, os Pesquisadores do Projeto BRISA Ribeirão Preto estão atualizando os dados de cadastro das mães e crianças participantes do estudo. Se você recebeu alguma mensagem de nossa equipe ou viu em nossas Redes Sociais, veja aqui em nosso site mais detalhes sobre o projeto.

 

Canais de Comunicação BRISA Ribeirão

Para confirmar seus dados cadastrais, entre em contato conosco por meio de um dos nossos canais de comunicação:

WhastApp: (16) 99240-8044

Facebook: Brisa Ribeirão Preto

Instagram: @brisausp

Ou acessando o link “Formulário de Atualização de Contatos do Projeto BRISA

 

Projeto BRISA

O projeto “Fatores etiológicos do nascimento pré-termo e fatores perinatais na saúde da criança: coortes de nascimentos em duas cidades brasileiras”, financiado pela FAPESP (Processo No 2008/53593-0) em suas fases iniciais, está sendo realizado nas cidades de Ribeirão Preto (RP) em São Paulo e São Luís (SL) no Maranhão.

O Projeto BRISA Ribeirão Preto é conduzido pela equipe do Núcleo de Estudos da Saúde da Criança e do Adolescente (NESCA), um centro de estudos da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP. Atualmente, o projeto é coordenado pela Profa. Dra. Heloisa Bettiol, Prof. Dr. Marco Antonio Barbieri, Profa. Dra. Viviane Cunha Cardoso, Profa. Dra. Maria da Conceição Saraiva e pelo Prof. Dr. Ricardo Cavalli.

O Projeto BRISA se caracteriza por ser um estudo de coorte, isto é, um estudo observacional onde os participantes são acompanhados ao longo do tempo para que seja possível avaliar desfechos relacionados à saúde. O Projeto BRISA foi iniciado em 2010, com o objetivo de acompanhar, ao longo de várias etapas da vida, crianças nascidas nesse ano nas cidades de Ribeirão Preto/SP e São Luís/MA. O Projeto BRISA se subdivide em dois grandes projetos: o BRISA pré-natal e o BRISA nascimento.

Vamos apresentar a seguir o Projeto BRISA Ribeirão Preto.

 

Objetivos do Projeto BRISA

O principal objetivo do projeto BRISA é estudar fatores de risco para o nascimento pré-termo (antes de 37 semanas de gestação) e suas consequências ao longo da vida.

Para isso, hipóteses que relacionam alterações em alguns sistemas do organismo materno que funcionam de modo altamente interligado (como o sistema neurológico e o endocrinológico) e que podem repercutir na saúde do feto levando ao nascimento pré-termo foram testadas. Essas alterações foram também avaliadas em associação com uma série de condições durante a gestação, como violência doméstica e familiar, experiência de discriminação racial, presença de estresse na gestação, infecções maternas, infecção bucal materna, níveis de algumas proteínas liberadas no sangue da mãe e  variações em genes da mãe que podem desencadear parto pré-termo. Isso tudo foi avaliado na coorte do pré-natal.

Na coorte do nascimento, foram estimadas as taxas de baixo peso ao nascer, nascimento pré-termo e restrição de crescimento intrauterino e da mortalidade infantil, com o intuito de realizar comparações com as coortes anteriores estudadas em Ribeirão Preto (1978/79 e 1994) e avaliar os fatores associados a essas condições. Além disso, estimou-se a prevalência de infecção congênita por citomegalovírus (CMV), um vírus muito comum na população e que pode causar algumas manifestações em recém-nascidos, como dificuldade de audição.

No seguimento dessas coortes, realizado após um ano de vida, os objetivos foram avaliar as repercussões das condições de nascimento sobre as características da saúde geral dessas crianças, tais como asma, alergia, obesidade, internações hospitalares, cáries dentárias, neurodesenvolvimento, entre outros.

 

BRISA Pré-Natal

O “BRISA Pré-Natal” em Ribeirão Preto foi iniciado em fevereiro de 2010 e contou com a participação de 1400 gestantes, entre a 22ª e 25ª semana de gestação. Nesta fase foram realizadas as seguintes avaliações: aplicação de questionários sociodemográficos, questionários sobre aspectos psicológicos, sociais e relativos a saúde em geral, coleta de amostra de sangue e material vaginal, ultrassonografia, medida de peso e altura e exame odontológico. Com os dados obtidos foi possível caracterizar a população estudada e realizar avaliação de alguns aspectos da saúde da gestante e fatores de risco para o nascimento pré-termo.

As crianças do BRISA Pré-Natal de Ribeirão Preto nasceram entre abril de 2010 e junho de 2011. Nessa ocasião, foram coletadas informações do nascimento (por meio de consulta aos prontuários) de 1370 crianças ainda na maternidade.

Após as crianças completarem 13 meses de idade, de 2011 a 2013, foi realizado o primeiro seguimento das crianças, tendo participado desta etapa 1007 crianças. Nesta ocasião foram aplicados questionários com a mãe/responsável relativos à saúde mental, hábitos de vida e métodos de contracepção, questionários sobre a alimentação e saúde geral das crianças, coletado sangue da criança, realizado exame odontológico e avaliações sobre o desenvolvimento infantil (Escalas Bayley), além de medidas de peso e altura e coleta de informações socioeconômicas e demográficas.

 

BRISA Nascimento

Em 2010, iniciou-se o “BRISA Nascimento”: entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2010, durante todos os dias, todas as maternidades de Ribeirão Preto foram visitadas e todas as mães convidadas a participarem do estudo. Nesta fase, foi registrada a participação de 7752 crianças.

A coorte de nascimento identificou os nascimentos hospitalares que ocorreram em todos os serviços de maternidade, públicos ou privados.

Após as crianças completarem 13 meses, parte das mães foram convidadas a participar de uma nova etapa do BRISA, de reavaliação das crianças (etapa do seguimento). Em Ribeirão Preto foram avaliadas nesta ocasião 4182 crianças da coorte de nascimento, tendo sido feitas as mesmas avaliações realizadas no pré-natal.

 

Etapa Atual do BRISA / Atualização de Contatos

Nesse momento estamos preparando uma nova etapa do projeto, onde faremos contato com todas as mães participantes de todas as etapas anteriores do BRISA, para uma nova reavaliação de suas crianças, completando neste ano 10 anos de idade!

Essa nova etapa chama-se “BRISA Fase Escolar” e serão realizadas avaliações antropométricas (medidas de peso, altura, circunferências), de composição corporal (percentual de gordura e massa óssea), odontológicas, psicológicas e referentes à qualidade do sono, pressão arterial e saúde de uma maneira geral.

Infelizmente, devido a pandemia da COVID-19, o contato presencial com as mães e crianças que participarão dessa nova fase está temporariamente suspenso, até que seja seguro nos encontrarmos pessoalmente! Aproveitamos para informar que o BRISA fase escolar será realizado nas instalações da Unidade de Pesquisa Clínica (Clínica Civil) do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (HCRP).

Enquanto isso, a equipe BRISA está trabalhando na atualização dos contatos das mães. Estamos realizando, nesse momento, uma busca ativa de todas as mães participantes de alguma etapa anterior do BRISA, para que, no nosso retorno, possamos dar andamento com maior agilidade no agendamento das avaliações das crianças do BRISA. Para isso, desde abril e ainda pelas próximas semanas, entraremos em contato com diversas mães, tanto pelo WhatsApp como por meio de redes sociais para que possamos confirmar e atualizar os cadastros.

 

Importância do BRISA

Todas as fases do Projeto BRISA contribuíram muito com o avanço do conhecimento sobre nossa população e condições de saúde. Vários resultados já foram publicados, outros estão em análise e mais dados futuramente serão utilizados para comparações com os resultados da nova etapa “BRISA Fase Escolar”, que será iniciada logo após a normalização das atividades.

Além da publicação de trabalhos em revistas científicas com resultados encontrados no BRISA, estamos divulgando informações muito importantes deste estudo para a população, por meio de nossas mídias sociais (Facebook e Instagram). Sigam nossas páginas e saibam como sua participação tem sido fundamental para o estudo da saúde de nossas crianças.

No momento da execução da presente fase do projeto, as crianças da coorte BRISA estarão nos primeiros anos da vida escolar, sendo esta uma etapa fundamental para o desenvolvimento da criança do ponto de vista social, comportamental e de saúde. Dessa forma, o estudo se propõe a investigar possíveis fatores associados ao crescimento e desenvolvimento das crianças da coorte BRISA, explorando e utilizando instrumentos e medidas de indicadores de desenvolvimento de doenças crônicas ainda pouco utilizados e investigados em crianças na idade escolar.

O BRISA pretende ainda investigar aspectos comportamentais e de transtornos do neurodesenvolvimento associados aos hábitos de vida da gestante no período pré-natal, da criança no início da vida e no presente.

Ninguém esperava por isso, mas enquanto preparávamos o projeto “BRISA Fase Escolar” para ir a campo nesta nova etapa, aconteceu a pandemia causada pelo novo coronavírus, chamado SARS-Cov -2, que causa a doença do coronavírus, chamada COVID-19 . Essa pandemia tem causado um grande impacto na vida de todos nós, interferindo nas atividades diárias, no emprego, na saúde e até na perda de entes queridos em algumas famílias. As crianças tiveram que se afastar da escola e muitas não puderam ter contato com seus amigos e com parentes queridos, como tios e avós. Por isso, quando tudo se acalmar, vamos retomar as atividades do projeto e também procurar avaliar como essa pandemia influenciou o bem estar das crianças e das famílias do BRISA. Assim, poderemos formular propostas para lidar com esses problemas. Mais um motivo pelo qual sua participação é muito importante!